Doação de Órgãos

A evolução da tecnologia médica em favor da vida permite que pessoas comuns salvem muitas vidas através do transplante de órgãos. Tomar essa decisão é simples e para a sua vontade ser respeitada você deve comunicá-la à sua família.

O Brasil tem uma notável capacidade técnica para a realização de transplantes, e o Instituto de Transplantes do Hospital Mãe de Deus auxilia o paciente candidato e o orienta quanto ao funcionamento da Central de Transplantes da Secretaria de Saúde do Estado do Rio Grande do Sul, responsável pelo processo no Estado.

No Rio Grande do Sul, assim como no restante do Brasil, existem listas únicas para cada órgão, para que a doação ocorra de forma transparente e justa. Cada órgão possui seu critério próprio de distribuição. Veja abaixo:

  • - Rim/Pâncreas: compatibilidade ABO com doador e tempo de espera na lista;
  • - Coração: compatibilidade ABO com doador, tempo de espera na lista e compatibilidade anatômica;
  • - Fígado: compatibilidade ABO e escore de gravidade MELD/PELD*;
  • - Rim: compatibilidade ABO e complexo de histocompatibillidade (HLA) com doador;
  • - Pulmão: compatibilidade ABO e compatibilidade anatômica;
  • - Córneas: tempo de espera na lista.

* MELD/PELD É um critério usado para quantificar a urgência de transplante de fígado. Através de um cálculo que considera resultados de exames laboratoriais estima-se o risco de óbito sem o transplante por três meses. Em candidatos ao transplante com idade igual ou maior de 12 anos é utilizado o MELD (Model for End-stage Liver Disease), e em candidatos com idade inferior a 12 é utilizado o PELD (Pediatric End-stage Liver Disease).

Para mais informações sobre a Central de Transplantes do RS, acesse:

http://www.saude.rs.gov.br/wsa/portal/index.jsp?menu=servicos&cod=3085