Apresentação

O Serviço de Hemoterapia do Hospital Mãe de Deus é responsável pela coleta, processamento, seleção e transfusão de sangue e de seus componentes. Todos os procedimentos são realizados conforme protocolos exigidos pelo Ministério da Saúde, que objetivam prevenir complicações para o doador e contaminação para o receptor. 

A doação de sangue é um ato que salva vidas e o Hospital Mãe de Deus proporciona todo o cuidado para ajudá-lo nesse processo simples, rápido e seguro. O ato da doação é de extrema importância, pois o sangue é fundamental para que o organismo mantenha e recupere a saúde. Ele transporta oxigênio, sais e outras substâncias através do organismo e não tem um substituto sintético.

Diferenciais

Possuímos uma infraestrutura completa com equipamentos complexos que atendem todas as exigentes normas da moderna Hemoterapia, garantido a segurança do doador e também do receptor.

Equipe

Coordenador Médico

  • Dr. Carlos Gorini

Equipe Médica

  • Dr. Carlos Gorini
  • Dra. Marina Furlanetto
  • Dra. Vânia Ferrari

Tratamentos

  • Transfusão de hemocomponentes (concentrado de glóbulos vermelhos, plaquetas, plasma fresco congelado, crioprecipitado)
  • Transfusão de plaquetas por aférese (técnica de separação das células do sangue)
  • Transfusões de pacientes internados e ambulatoriais (Hospital Dia)
  • Sangrias terapêuticas
  • Procedimento de aférese terapêutica
  • Demais procedimentos referentes ao sangue

Para doar sangue é preciso:

  • Trazer documento oficial de identidade com foto
  • Ter entre 16 anos completos e 69 anos, 11 meses e 29 dias. Menores de 18 anos podem doar somente via autorização com consentimento formal por escrito e acompanhamento de um responsável legal. Se for a primeira doação, somente até 60 anos, 11 meses e 29 dias
  • Pesar 50 kg ou mais
  • Ser e estar saudável
  • Não estar em jejum e evitar apenas alimentos gordurosos nas 3 horas que antecedem a doação

Não pode doar quem:

  • Teve hepatite após os onze anos de idade
  • Teve Doença de Chagas
  • Teve ou tem Malária ou Sífilis
  • Apresentar comportamento ou situações de risco ou histórico de doenças transmissíveis pelo sangue. As dúvidas serão respondidas na triagem clínica antes da doação
  • Está em risco de encontrar-se no período de janela imunológica (breve período após alguma contaminação no qual a mesma não é detectada em exames de sangue. Esse período varia de acordo com cada doença, por isso é necessário ser sincero quanto ao histórico de saúde e de comportamento de risco na entrevista e questionário respondidos na triagem anterior à doação)
  • Recebeu transfusão de sangue ou de hemocomponentes do último ano, está resfriado ou com qualquer outra infecção, tenha sido vacinado recentemente (neste caso, o período de impedimento para a doação varia de acordo com o tipo de vacina)
  • Doenças autoimunes: Lupus, Hipotireoidismo (Hashimoto), Artrite Reumatoide, Psoríase
  • Histórico de câncer
  • Piercing bucal ou genital

*Outros históricos serão avaliados individualmente

Intervalos para doação:

  • Homens: 60 dias (até quatro doações por ano)
  • Mulheres: 90 dias (até três doações por ano)

Cuidados após a doação:

  • Manter o curativo no local da punção por pelo menos quatro horas
  • Evitar esforços físicos exagerados por pelo menos 12 horas
  • Aumentar a ingestão de líquidos
  • Não fumar por cerca de duas horas
  • Evitar bebidas alcoólicas por 12 horas
  • Não trabalhar em andaimes, pilotar ou dirigir veículos de grande porte por até 12 horas

Perguntas Frequentes

Sim, desde que a tatuagem tenha sido feita há mais de um ano.

Sim, desde que estejam se sentindo bem e que tenham o teste de anemia dentro dos
limites aceitáveis (o teste, dosagem de hemoglobina, é realizado no próprio banco de
sangue no dia da doação).

As mulheres podem doar até três vezes por ano, com intervalo mínimo de 90 dias. O homem, quatro vezes por ano, com intervalo mínimo de 60 dias entre as doações.

Nenhum, todos os grupos sanguíneos são necessários. O “O Negativo” é popularmente conhecido como doador universal, mas só pode ser utilizado parcialmente em outros grupos sanguíneos.

Todo o processo leva cerca de 30 minutos, incluindo a entrevista, os exames iniciais (verificação dos sinais vitais e teste para anemia) e a doação propriamente dita. A coleta de sangue costuma levar de 5 a 10 minutos para ser realizada, variando de acordo com o doador.

Nenhum, todos os grupos sanguíneos são necessários. O “O Negativo” é popularmente conhecido como doador universal, mas só pode ser utilizado parcialmente em outros grupos sanguíneos.

É preciso ingerir bastante líquido e não fumar por duas horas. Para dirigir é necessário aguardar 30 minutos. O doador recebe um material impresso com todas as orientações e cuidados necessários para preservar o organismo no processo de recuperação do sangue que se segue após a doação, evitar hematomas e mal-estares, como por exemplo, não realizar exercícios físicos intensos e não fazer força com o braço de onde foi retirado o sangue.

A bolsa de Sangue Total é fracionada em outras três bolsas de hemocomponentes, de forma que, pelo menos três pacientes podem ser beneficiados com uma doação. Os hemocomponentes são:

- Concentrado de Glóbulos Vermelhos (hemácias) com validade de 35 dias;

- Concentrado de Plaquetas com validade de cinco dias;

- Plasma Fresco Congelado com validade de um ano.

Em uma doação são retirados 450 ml ± 45 ml de sangue. Este volume será reposto rapidamente com a ingestão de líquidos após a doação, voltando em aproximadamente 2 horas, ao seu volume sanguíneo anterior.
Quanto aos glóbulos vermelhos, dependendo de cada organismo, são necessárias cerca de duas a três semanas para a produção e recuperação do nível anterior à doação.
Antes de cada doação é realizado um exame rápido de dosagem de hemoglobina ou hematócrito, avaliando a possibilidade de ser feita a doação sem prejuízo ao doador.

Não. Doar sangue não faz mal e não há nenhum risco em se contrair doenças infecciosas, visto que todo o material é estéril, de uso único e descartável.

Eventualmente, o doador pode sentir alguns sintomas adversos leves, como:

- Queda de pressão, tonturas, hematomas;

- Náuseas e vômitos;

- Dor local, dificuldade de movimentar o braço;

- Inflamação local;

- Sudorese fria e palidez.

Manifestações mais sérias, como perda de consciência e convulsão, são raras. A observação contínua durante a doação tem a finalidade não só de detectar precocemente manifestações indesejáveis, mas também intervir para restabelecer a condição física do doador.

Sim, de acordo com normas do Ministério da Saúde, um documento de identificação com fotografia, emitido por órgão oficial, como a sua carteira de identidade, deverá ser apresentado à recepção. Além disso, o doador assina um termo de consentimento livre e esclarecido que fica em sua ficha.

Sistema de saúde Mãe de Deus

Porto Alegre

Outras Cidades